Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA



Outras recomendações:

Teias de Pensamento e Som / Entangled Thinking - Clouding Sounds


EXIST/RESIST – Obras de Didier Fiúza Faustino: 1995–2022
MAAT, Lisboa

O Livro da Patrícia


APRESENTAÇÃO DA 2ª EDIÇÃO DO LIVRO
STET - LIvros & Fotografias, Lisboa

Estórias da Arte – Teatro


Carlos Avilez, Paulo Filipe Monteiro e Nuno Cardoso
Centro Cultural de Belém, Lisboa

Narcisos Insubmissos


Bruno Marques
Online,

O LEGADO DE ENNIO MORRICONE


Marco Morricone e Filipe Melo
Sala de Âmbito Cultural, piso 6 do El Corte Inglés, Lisboa

ritual-recital-performático III ou um lugar que eu digo saber inventar


Jamile Cazumbá
Mala Voadora, Porto

Dentes de Leão


COLECTIVA
Culturgest, Lisboa

DA VIOLÊNCIA


Elsa Dorlin
Culturgest, Lisboa

Deste Mundo e do outro


Olga Roriz
Rivoli Teatro Municipal, Porto

Hífen


Patrícia Portela
Casa da Esquina, Coimbra

ARQUIVO:

O seguinte guia de eventos é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando conferências, seminários, cursos ou outras iniciativas. Envie-nos informação (press-release, programa e imagem) dos próximos acontecimentos. Seleccionamos três eventos periodicamente, divulgando-os junto dos nossos leitores.

 


APRESENTAÇÃO DA 2ª EDIÇÃO DO LIVRO

O Livro da Patrícia




STET - LIVROS & FOTOGRAFIAS
Rua do Norte nº 14 - 1º andar
1200-286 LISBOA

28 JAN - 28 JAN 2023


APRESENTAÇÃO DO LIVRO: 28 Janeiro 2023, 17h30, na Livraria STET, Lisboa


O LIVRO DA PATRÍCIA (2ª edição)
de David-Alexandre Guéniot
13 x 18 cm; 304 pp.
ISBN 978-989-54422-6-3
GHOST Editions


Apresentação com Djaimilia Pereira de Almeida, Humberto Brito, David-Alexandre Guéniot.



“O Livro da Patrícia” foi elaborado a partir de um projecto inacabado da fotógrafa e artista visual Patrícia Almeida, que faleceu há cinco anos. Reúne e faz dialogar textos e imagens sobre fotografia, memória, ausência.

Para a apresentação da 2ª edição, o autor convidou a escritora Djaimilia Pereira de Almeida e o fotógrafo e investigador Humberto Brito para partilharem as suas impressões de leituras. O público está calorosamente convidado a juntar-se à conversa.

:::

“Se a fotografia fosse uma arte das coisas visíveis, então talvez fosse o pior meio possível para dar conta da cegueira do amor. Mas talvez a fotografia não seja a arte da visão, mas da cegueira, não da claridade, mas de tudo aquilo que permanece enigma diante do pouco que conseguimos ver.

É inglório, pensarão os sobreviventes, perseguir o invisível, que é aquilo que Patrícia terá visto. E, no entanto, é urgente para quem sobrevive buscar precisamente o que não pode nunca alcançar: não aquilo que ela viu e o modo como o viu, mas buscar essa busca.”

Djaimilia Pereira de Almeida
revista Quatro Cinca Um, Folha de São Paulo,
11 Nov. 2022