Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

Amor I Love You


COLECTIVA
Pavilhão 31, Lisboa

MANOEL DE OLIVEIRA E O CINEMA PORTUGUÊS 2. LIBERDADE! (1970-1990)


Manoel de Oliveira
Casa do Cinema Manoel de Oliveira, Porto

The Colonies Will be Countries


Délio Jasse
Galerias Municipais - Pavilhão Branco, Lisboa

O amanhecer do 25 de Abril de 1974


Fernando Brito
Culturgest, Lisboa

ABRIL VERMELHO


COLECTIVA
CAV - Centro de Artes Visuais, Coimbra

Desobedecer ao Tempo


Fernando José Pereira
Museu do Neo-Realismo, Vila Franca de Xira

1945 — Hoje


Yayoi Kusama
Museu de Serralves - Museu de Arte Contemporânea, Porto

Mar Aberto | Shining Indifference


Nicolas Floc’h | Luísa Jacinto
MAAT, Lisboa

Repair/Reparar


Kader Attia, Ângela Ferreira e Francisco Huichaqueo
Hangar - Centro de Investigação Artistica, Lisboa

Idos de Março


André Gomes
Galeria Diferença, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 


DAYANITA SINGH

Dançando com a minha Câmara




MUSEU DE SERRALVES - MUSEU DE ARTE CONTEMPORÂNEA
Rua D. João de Castro, 210
4150-417 PORTO

17 NOV - 05 MAI 2024


INAUGURAÇÃO: 16 de Novembro às 18h30 no Museu de Serralves, Porto


:::


Dayanita Singh (n. 1961, Nova Deli) desenvolveu, ao longo de quatro décadas, um trabalho que se distingue pela abordagem à fotografia que desafia os vários géneros do meio, estimulando constantemente os seus limites. Dancing with my Camera (Dançando com a Minha Câmara), a mais importante exposição dedicada à artista até à data, abrange a totalidade da sua obra, desde o primeiro projeto fotográfico centrado no universo musical do percussionista Zakir Hussain (n. 1951, Bombaim), até aos trabalhos mais recentes, entre os quais Let’s See (Veremos) (2021), inspirado no formato da folha de contacto. A exposição é um testemunho da originalidade relativamente à forma que define o trabalho de Singh, destacando também a visão singular da artista em relação a temas como o arquivo, o desaparecimento, a música, a dança, a arquitetura, o género e a amizade.

Dayanita Singh: Dançando com a minha Câmara é organizada pela Fundação de Serralves — Museu de Arte Contemporânea de Serralves em colaboração com Gropius Bau, Museu Villa Stuck, Munique o MUDAM – Musée d´Art Moderne Grand-Duc Jean, e comissariada por Stephanie Rosenthal.