Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

50 Anos em Companhia


Maria José Oliveira
Galeria Fernando Santos (Porto), Porto

Beograde Concrete | Reset | Encompass


Inês d'Orey | Isaque Pinheiro | Juna Welsey
Galeria Presença (Porto), Porto

CONTINUA NA PÁG. 39


Hilda Reis
Largo Residências / Quartel do Largo do Cabeço de Bola, Lisboa

O Espelho em Mim


Joana da Conceição
Galeria da Casa A. Molder, Lisboa

I II III IV V - cinco décadas do ar.co - centro de arte e comunicação visual


COLECTIVA
MNAC - Museu do Chiado , Lisboa

Rizoma


Cristina Mejías e Mariana Caló & Francisco Queimadela
Kindred Spirit, Lisboa

Now Here, Nowhere | ESCURO


Victor Torpedo | Luís Palma
CAV - Centro de Artes Visuais, Coimbra

HIPOTENUSAS


António Bolota
Banco das Artes Galeria, Leiria

Black Skin, White Masks. The Black Body in Presence


Buhlebezwe Siwani, Masimba Hwati, Rita GT, Valete
Galerias Municipais - Galeria Avenida da Índia, Lisboa

Angst


João Mota da Costa
Galeria IMAGO LISBOA, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 


PETER WÄCHTLER

A Life on Stage




CULTURGEST
Edifício Sede da Caixa Geral de Depósitos, Rua Arco do Cego
1000-300 LISBOA

21 JAN - 16 ABR 2023


INAUGURAÇÃO: 20 de Janeiro, às 22h00 na Culturgest, Lisboa

Exposição individual

Curadoria: Bruno Marchand



:::


Sendo a estreia absoluta das obras de Peter Wächtler em Portugal, esta exposição reúne parte importante do trabalho que o artista alemão tem desenvolvido durante a última década. As suas obras desenvolvem-se num universo onde a fantasia, a fábula e um certo pendor existencialista se aliam na criação de propostas que exploram uma ambiguidade radical.

Melancolia, ironia e humor são características transversais do trabalho de Peter Wächtler. Usando a narrativa e, particularmente, o solilóquio como ferramentas principais, uma parte importante da sua produção passa pela criação de narrativas ficcionais onde personagens humanas e não-humanas deixam transparecer algum tipo de angústia existencial.

Frente aos seus desenhos, esculturas ou filmes, é frequente sentir-se uma espécie de desrealização. Como se as suas personagens – vindas de outro tempo, de outros modos ou de outras espécies – falassem melhor sobre as pequenas neuroses do quotidiano, desencantos e expectativas. Como se dessem corpo à ansiedade coletiva e apontassem o caminho do sonho, da imaginação e da alegoria como as vias certas para uma redenção provisória.

As suas obras são fragmentos de histórias cujos personagens revelam dificuldade em estabelecer laços afetivos e emocionais e em operar de forma funcional no seu entorno. O mundo é-lhes alheio; o Outro, um enigma. Nenhum deles deixa, porém, de desempenhar o papel que lhes compete nas narrativas que Wächtler orquestra e nas quais surgem, a espaços, vislumbres fugazes de redenção.


:::


Peter Wächtler (1979, Hannover, Alemanha) vive e trabalha em Berlim e Bruxelas. As suas obras, que incluem escultura, desenho e animação, evocam frequentemente uma narração próxima da fábula, com animais ou figuras humanas em estados animados. O seu trabalho tem sido alvo de exposições individuais em instituições como The Renaissaince Society, Chicago, Chisenhale Gallery, Londres, M HKA, Antuérpia, Schinkel Pavillon, Berlim, Kunsthalle Zürich ou The Power Station, em Dallas. De entre as suas numerosas exposições coletivas internacionais, destaque para a 2015 Trienal: Surround Audience no New Museum, Nova Iorque (2015), Liverpool Biennial (2014), La Biennale de Lyon 2013, e Pride Goes Before a Fall – Beware of a Holy Whore no Artists Space, Nova Iorque (2013).