Links

NOTÍCIAS


ARQUIVO:

 


APRESENTADA A 11ª EDIÇÃO DO WALK&TALK - FESTIVAL DE ARTES DOS AÇORES

2022-06-23




A 11ª edição do Walk&Talk - Festival de Artes dos Açores acontece na ilha de São Miguel entre 14 e 23 de julho, sob o tema In the first place (Em primeiro lugar), e reúne artistas, coletivos e curadores que apresentam vários projetos inéditos que cruzam as artes visuais, a performance, a música, a arquitetura e o design.

In the first place propõe uma reflexão sobre o que surge e existe em primeiro lugar, repensando narrativas vigentes e a posicionalidade enquanto aspeto chave na definição de sistemas de poder, conhecimento e identidade. Questionando construções temporais e espaciais divergentes e reconhecendo múltiplas vozes, presenças e posições, o programa pretende pensar a palavra, a fala, o som e a música como formas de viajar no tempo, propondo novas perspetivas e leituras sobre os espaços que habitamos - sejam eles físicos ou metafóricos, e as relações que estabelecemos entre geografias, recursos, diferentes espécies e ideias.

Ao longo de 10 dias, o Walk&Talk volta a ter “casa” no Largo de São João, centro de Ponta Delgada, onde será construído um pavilhão temporário assinado pelo Ilhéu Atelier, de Rita Sampaio e Afonso Botelho Santos. O Pavilhão W&T acolhe o público e abre-se à cidade como ponto de encontro e de convívio, mas também palco principal com a apresentação de performances, como ‘The Fever Hand’ de Vivian Caccuri, que inaugura o festival, ou ‘Water no get enemy’, de Linda Lamignan; e um programa de música com concertos e dj sets de Dj Lycox, Dj Marcelle, Dj Milhafre, EXPAT, Fallon Mayanja, Jessica Khazrik, Laura Ortman, Lechuga Zafiro, Nazar, PMDS, Sonja, Soundpreta, Tape e WaqWaq Kingdom.

O programa ocupa, no entanto, vários outros espaços e paisagens da ilha de São Miguel, através de projetos que resultam de residências artísticas desenvolvidas nos Açores entre 2021 e 2022, mas também de convites e comissões.

A vaga - espaço de arte e conhecimento (sede da associação Anda&Fala), acolhe a exposição coletiva ‘In the first place’, com trabalhos de Caroline Monnet, Larry Achiampong, Linda Lamignan e Uyarakq e a performance ‘sensing Satellite - Condensed -’ de Fallon Mayanja; o Centro Municipal de Cultura, as exposições individuais de Catarina Gonçalves, Cristóvão Maçarico e Tiago Patatas; o Teatro Micaelense, a performance ‘Cabraqimera’ e a exposição ‘Poromechanics’, de Catarina Miranda; o Arquipélago - Centro de Artes Contemporâneas, a instalação imersiva de Estela Oliva (CLON) & Ana Quiroga; a Galeria Fonseca Macedo, a exposição de Maria Ana Vasco Costa; e o Auditório Luís de Camões, a performance ‘Visions’ de Nástio Mosquito. O projeto de Diogo da Cruz ganha forma nas Portas do Mar (Piscinas do Pesqueiro), e o ‘Cagarro Assembly’ da artista Ellie Ga inclui uma apresentação no Estúdio 13 e listening sessions ao longo do festival, no trilho da Rocha da Relva. O artista Matthew C. Wilson apresenta pela primeira vez o seu trabalho em Portugal.

O W&T Soundsystem é um projeto pensado e criado especificamente para a 11ª edição, construído por Sérgio Coutinho e Francisco Antão. Enquanto dispositivo de programação e objeto artístico e de engenharia, o Soundsystem tomará a forma de um sistema de som móvel, que percorrerá vários espaços da ilha e terá um conjunto de ativações por artistas e músicos convidados, como uma conferência-performance do pensador e musicólogo Edward George.

O programa de excursões, iniciado na edição passada, regressa com quatro viagens únicas, pensadas em colaboração com Rita Serra e Silva, as quais dão a conhecer São Miguel através dos trabalhos artísticos desenvolvidos no âmbito do festival.

Ao longo de todo o período do festival, decorre o programa de conhecimento, com a Summer School W&T; o ciclo de conversas Talk About; e visitas-guiadas, workshops ou open studios. O Walkie-Talkie é a grande novidade deste programa, que apresenta uma proposta para o público infanto-juvenil e famílias, na manhã do último dia do festival, com oficinas e um concerto-experiência dos WaqWaq Kingdom.

A RARA - Residência de Artesanato da Região dos Açores regressa para a sua 9ª edição, onde, sob coordenação de Miguel Flor, os designers Octavio Barrera e MACHEIA irão colaborar com artesãos locais, cruzando técnicas, matérias-primas, “saber fazer” e afetos para a criação de novos objetos. No último fim-de-semana do festival, o projeto europeu Centriphery (do qual faz parte o Walk&Talk) terá a sua etapa açoriana, com um projeto colaborativo e territorial intitulado “A Walk on the Edge”, e desenvolvido pelos performers Gustavo Ciríaco e Tellervo Kalleinen, os arquitetos Mezzo Atelier e o músico Ovidiu Mihaita.

A 11ª edição tem coordenação curatorial de Irene Campolmi, Jesse James, Joana Cardoso, Luís Brum e Sofia Carolina Botelho, e o Walk&Talk - Festival de Artes conta com o financiamento do Ministério da Cultura - DGArtes, Governo dos Açores, Município de Ponta de Delgada, Turismo de Portugal, Europa Criativa, FLAD e Acción Cultural Espanõla.




FONTE: Walk&Talk