Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

Espelho


Isabel Madureira Andrade
Galeria Fonseca Macedo, Ponta Delgada

Imago Lisboa Photo Festival


Joakim Eskildsen
MNAC - Museu do Chiado , Lisboa

Mais tarde


JORGE MOLDER
Galeria Belo-Galsterer, Lisboa

Perto da margem


Pedro Calapez
Museu Arpad Szenes - Vieira da Silva, Lisboa

Bom dia lua


Nuno Sousa Vieira
Museu Municipal Amadeo de Souza Cardoso, Amarante

Ciclo “Museu das Obsessões”


TATIANA MACEDO / HORÁCIO FRUTUOSO
CAV - Centro de Artes Visuais, Coimbra

Uma Figura Semelhante


Diogo Costa
Diogo Costa Atelier, Almada

Sombras do Tempo


MÁRIO MACILAU
Galeria MOVART, Lisboa

Lanhaslândia (Expandida)


Fernando Lanhas
Galeria Quadrado Azul (Novo espaço em Lisboa), Lisboa

Polaris


Francisco Tropa
Galeria da Casa A. Molder, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 


ISABEL MADUREIRA ANDRADE

Espelho




GALERIA FONSECA MACEDO
Rua Dr. Guilherme Poças Falcão, 21
9500-057 PONTA DELGADA

07 OUT - 27 NOV 2021


Inauguração: 7 de Outubro 2021, das 18h às 20h, na Fonseca Macedo - Arte Contemporânea


Espelho
de Isabel Madureira Andrade


«um outro espelho

O título da exposição é, num mesmo tempo, uma alusão à pintura, enquanto processo de representação, e à metodologia da sua construção. Isabel Madureira Andrade coloca-nos perante imagens pictóricas abstractas, geométricas e potenciadoras de composições simétricas. E é neste acto em potência, que só se verifica pelo tempo que o espectador dedica à sua observação, que a repetição de padrões, matrizes, simetrias incompletas, grelhas diagonais, ou elípticas se confirma. As pinturas inscrevem a presença do desenho, porque são um conjunto de acções físicas e plásticas trabalhadas sob uma paleta cromática em que a sobreposição e duplicação de planos e a expressão das linhas criam zonas de profundidade e de relevo. Esta ideia de espelhamento, de reflexão do outro, é nestas obras uma dialética interna que ocorre nos limites do suporte mas que o ultrapassa enquanto estímulo visual, duração no tempo que cada sujeito intui e reconfiguração do olhar: deste modo, a superfície da pintura absorve-nos para o seu interior, sem resgatar a nossa imagem em prol de uma composição que se refaz e se espelha em si mesma continuamente.

O processo de trabalho da artista incorpora sempre uma imagem preexistente, como um fragmento da memória que pertence ao atelier, aos modelos da sua pesquisa, ao estudo e à liberdade de construir e desconstruir sistemas visuais em que o desenho adquire uma particular importância. Por vezes são imagens de um quotidiano comum, vernáculo, que se vão transformando por um processo de síntese e de austera economia visual em geometrias simples que a sua duplicação vai sedimentando em construções mais complexas, abandonando a referência original para se tornar num processo serial, e aparentemente formal, no interior da obra. ».

João Silvério
(Excerto da folha de sala)


:::


Isabel Madureira Andrade (Açores, 1991), vive e trabalha em Lisboa. Atualiza uma noção de desenho como índice, através da técnica de frottage sobre matrizes que colhe do quotidiano. Recuperando o debate sobre a referencialidade e convencionalidade dos signos, as suas obras cruzam a ordem da racionalidade geométrica da grelha com a intromissão do acaso e do erro, em resultados cuja delicadeza se compõe de mistérioe silêncio.
Isabel Madureira Andrade fez parte dos seis finalistas do Prémio EDP Novos Artistas, 2019, e foi distinguida com uma Menção Honrosa pelo Júri Internacional do Prémio.
Em Janeiro de 2020, Isabel Madureira Andrade foi convidada a expor no Museu Arpad Szenes-Vieira da Silva, “Epigramas”. Na ocasião foi publicado um catálogo.