Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Sem título, 2021, pastel seco sobre papel, 64x94 cm.

Outras recomendações:

Polaris


Francisco Tropa
Galeria da Casa A. Molder, Lisboa

It`s not a landscape | It`s a battlefield


Alexandre Conefrey
Galeria 111, Lisboa

FotoUtopia: Construções Imaginárias


Ana Linhares, Estefanía Landesmann, Pedro Valdez Cardoso e São Trindade
Fábrica das Palavras, Vila Franca de Xira

20 anos para a frente, 20 anos para trás


Sofia Areal
Fundação Carmona e Costa, Lisboa

Cidadãos do Cosmos


Anton Vidokle
Rampa, Porto

Side Facing the Wind


Silvia Bächli
Fidelidade Arte, Lisboa

NADA EXISTE


RUI CHAFES
Galeria Filomena Soares, Lisboa

O Barco


Grada Kilomba
MAAT, Lisboa

Brasilina


Flávia Vieira
Kubikgallery, Porto

Os caminhos do corpo


Alberto Carneiro
3 + 1 Arte Contemporânea, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 


ALEXANDRE CONEFREY

It`s not a landscape | It`s a battlefield




GALERIA 111
R. Dr. João Soares, 5B
1600-060 LISBOA

17 SET - 06 NOV 2021


Inauguração: 17 de setembro de 2021, das 15h-20h, na Galeria 111



It`s not a landscape | It`s a battlefield
de Alexandre Conefrey


"Percorrendo as centenas de trabalhos (onde a pintura e o desenho frequentemente se sobrepõem) que Alexandre Conefrey produz percebemo—lo como personagem compulsiva. E um criador compulsivo poderá ser, afinal, um jogador compulsivo se considerarmos, como me parece correcto, a sua obra como um permanente jogo — sucessivos jogos aparentemente diversos, jogados em tabuleiros diversos mas constituindo séries estruturadas por lógicas internas e unificadas por regras comuns.

Há uma estranheza inicial na nossa observação e é provocada por aquela dispersão aparente de temas e modos de fazer (“estilos"); depois, há o reconhecimento das referidas lógicas de unificação que justificam e defendem o que podemos afirmar como sendo as marcas de uma autoria irredutível.

Essas marcas são exactamente as que as batalhas deixam sobre os campos onde se desenrolam. Não (apenas) porque uma parte significativa da obra de Alexandre Conefrey, desde as suas primeiras aparições publicas, tem, como tema imediato, a guerra; mas porque o seu processo de realização se configura como metáfora de um jogo de estratégia militar: com momentos de progressão rápida do gesto e outros de suspensão inesperada dos movimentos, com operações de camuflagem e disfarce, com episódios de ataques surpresa, de dispersão de esforços, de criação de vazios ou de súbita reunião de forças no terreno (na superfície) da representação."


Joao Pinharanda
(excerto do texto de sala)



:::


Alexandre Conefrey nasceu em 1961, em Lisboa, cidade onde vive e trabalha. Frequentou o curso de Desenho na escola Ar.Co, em Lisboa, entre 1993 e 1995. Participou no Programa de Trocas entre o Royal College of Art, Londres, e a Ar.Co, subsidiado pela Fundação Calouste Gulbenkian. Expõe desde meados dos anos 90, em Portugal e no estrangeiro. A sua obra encontra-se representada em diversas colecções.
O seu trabalho parte de uma minuciosa exploração da simplicidade do gesto e das suas potencialidades de expressão, numa pesquisa atenta em torno de variados materiais, composições, referências e formas de representação na prática do desenho sobre papel.